sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Mudanças de um novo ano

breath + movement = changes

Happy 2012 dears online friends!!!!!! Wish you all the big challenges come true......

domingo, 25 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Para quê viver a vida inteira infeliz?
Para se aposentar quando velho?
Para quê viver a vida cheio de amarguras?
Para ter certeza de que é sozinho quando envelhecer?
Para quê viver se enchendo de expectativas?
Para se frustrar constantemente, diariamente?
Para quê viver buscando ser feliz se enchendo de coisas?
Para ter que se desfazer de tudo depois?
Para quê acreditar que as coisas passageiras são permanentes?
Para chorar de arrependimento depois?
Para quê viver preso em esperanças de situações que nunca irão acontecer?
Para sofrer e sofrer e sofrer?
Para quê reclamar da vida e de todos?
Para descobrir que na verdade nada tem sentido?
E para quê viver a vida inteira preso num sistema que não faz sentido?
Para quando ficar velho se aposentar e aproveitar a vida que resta?

Não quero nada, além de voar no tempo do presente, aproveitar a liberdade de ser e estar, criar um mundo melhor e feliz dentro do meu coração. E renascer mais mil vezes durante essa vida.

sábado, 12 de novembro de 2011

E pra nós dois....se aventurar......

Ando pensando....
Que sou do mundo...
Que vou pro mundo...
Que acredito nos meus sonhos....
Que acredito nos nossos sonhos...
Que acredito em mim...
Que acredito em ti...
Que acredito em nós...
Que sei que temos muito que explorar...
Muito que aprender...
Muito que viver...
E crescer...
Que somos fortes...
Que somos grande...
Que somos diferentes...
E especiais...
Que nos amamos...
Que amamos a vida...
Que amamos o yoga...
Que amamos a nossa diferença...
E a nossa igualdade...
Assim somos...
Seres unicos,
Seres inexplicávies,
Seres imensuráveis.
Seres que são,
e estão.

Uma história de amor

A história dessa musica....
"um casal de velhinhos foi encontrado abraçado, mortos, nos escombros de um hotel que desabou no Rio de Janeiro. Descobriu-se que eles tinham um amor antigo, e que só puderam começar a demonstrar pouco ante das suas mortes. Encontravam-se escondidos nesse hotel. No dia do desabamento, alguém bateu na porta de todos os quartos pra avisar que ia desabar.
Há duas versões: Uns acreditam que eles temiam ter sido descobertos e não quiseram sair; e outros acreditam que eles resolveram morrer juntos."

Seja o for, foi uma história de amor...




Conversa De Botas Batidas

Los Hermanos

Veja você, onde é que o barco foi desaguar
A gente só queria um amor
Deus parece às vezes se esquecer
Ai, não fala isso, por favor
Esse é só o começo do fim da nossa vida
Deixa chegar o sonho, prepara uma avenida
Que a gente vai passar

Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar, se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar
Deixa o moço bater
Que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivos
Pra um amor de tantas rugas
Não ter o seu lugar

Abre a janela agora
Deixa que o sol te veja
É só lembrar que o amor é tão maior
Que estamos sós no céu
Abre as cortinas pra mim
Que eu não me escondo de ninguém
O amor já desvendou nosso lugar
E agora está de bem

Deixa o moço bater
Que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivos
Pra um amor de tantas rugas
Não ter o seu lugar

Diz, quem é maior que o amor?
Me abraça forte agora, que é chegada a nossa hora
Vem, vamos além
Vão dizer, que a vida é passageira
Sem notar que a nossa estrela vai cair

Composição: Marcelo Camelo

Ashtanga Yoga en Chile

yogakorunta.cl

Yoga é uma das ferramentas que nos conduz à Verdade, à auto-realização.
É um caminho a ser percorrido por toda vida, por isso não é feito, nem executado em algum momento ou algum lugar específico.
É uma maneira de viver, não só um estilo.
Viver yoga é estar atento em todos os momentos.
Fazer o possível para estar presente 100% no agora.
Deixar os quereres, os desejos, os desgostos, as aversões, para encontrar a plenitude em si.
Em um mundo que busca sempre o contrário, e que nos chama ao externo, ao supérfluo, ao passageiro.
O Yoga não vende nada, só entrega.
Esta é a contradição. Este é o desafio.
Praticar as posturas de yoga traz muitos benefícios físicos, cura doenças, fortelece e alonga a musculatura, ajuda em inúmeras partes que podemos constatar com o tempo.
Mas a parte "mística", que não é vista com os olhos, que fica oculta entre um movimento e outro, entre os vinyasas, entre dias e dias de prática, está na transcendência de padrões próprios.
Através da transformação no nosso corpo físico, o que era impossível se torna possível; o que a mente não acreditava, se torna palpável; o que era um padrão negativo (não posso, não consigo, não quero...), vira a felicidade de ter alcançado.

Abençoado o dia que me entreguei a este caminho, os professores que me ofertaram o amor e a sabedoria, e a todas as pessoas que me ensinam a aprender a viver...
Assim, continuo acreditando que é possível alcançar a paz e ser feliz de verdade, através da linda ferramenta que "escolhi". E dela faço o meu trabalho, atualmente em Santiago, Chile, com muito respeito e fé à tradição do método que sigo, Ashtanga Vinyasa Yoga.
Om Sri Gurubhyo Namah Hari OM
 
Acesse:
Ashtanga Yoga Korunta
http://yogakorunta.cl/

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

sábado, 5 de novembro de 2011

Saber amar, é saber deixar alguém te amar


Num dia como hoje,
Um sábado qualquer.
Desperto te olhando e abraço.
Percebo que não poderia existir nenhum outro lugar,
Senão aqui.
Não poderia ser outra pessoa,
Senão você.
Para diariamente me mostrar quem sou.
Para diariamente compartir comigo.
Para diariamente escutar meu silêncio.
Para estar aquí como estamos vivendo o agora.
Juntando dias, horas, vidas,
Multiplicando por 7 nosso mundo intenso e acelerado.
Com a certeza que não existe um principio ou um fim.
Sabendo que o apego não deveria existir,
Já que nada podemos possuir.
Sabendo que o amor é algo que vai além do nosso saber,
Então de nada adianta da vida querer compreender.

Formas


Queria ser de ferro
Para o coração não pulsar com tanta emoção descontrolada
Queria ser de pedra
Para poder estar em meditação constante
Queria ser estável
Para a vida não ser tão palpável
Queria um dia ter o controle
Para não me dispersar com o que não me pertence
Queria poder estar presente sempre
Para viver livre de qualquer apego e desejo
Queria poder entender a vida
Para saber que é impossível entende-la
Para ter certeza que a mente é a criadora
Para não entrar nas ondulações altas e baixas
E poder por um instante ser livre de qualquer coisa que não seja de verdade

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sambando em portunhol


Filosofando quanto a vida, o amor, as comparações, as buscas de cada um, as formas que enxergamos de acordo com o ângulo de visão...

Cuando hay amor não hay angulo.

Patinho feio

Eu conquistei a minha diferença.


"Devemos nos levantar e sair à procura do lugar a que pertencemos.
Para quem é 'diferente', é sempre esse o próximo passo".

Clarissa Pinkola Estés - Mulheres que Correm com os Lobos - "A procura da nossa turma"

sábado, 22 de outubro de 2011

Vida de hoje

Só quero ser o que sou...
Estar quem estou...
A dificuldade não é viver.
É aceitar a impermanência da vida.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Vida de mente, não mente

Uma semana realmente intensa.
Fora e dentro.
Fortalecendo.
Internalizando.
De cabeça, corpo e coração no que mais amo.
Entrego.
Dias seguem e vem o cansaço.
A semana fecha completa.
O que mudou ainda não consigo compreender.
As palavras não saem.
Impossível verbalizar.
Ficar pra dentro é o que faço.
Consigo chorar um pouco.
Mas não o suficiente.
Creio que é coisa da mente.
Ela ficou cansada de ficar de lado.
Quer chamar atenção e tomar conta.
Deixo.
Me fecho.
Deixo a cabeça pesar.
Mas os pensamentos que vem são sem nexo.
Não é desejo.
Não é falta.
Nem excesso.
É o que é.
Impossível elimina-la.
A unica solução é observa-la.
Já que não quero entrar.
Nem sair.
Apenas estar.
E relaxar.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Vida de casa


Escrevi Vida de Ashtanga hoje, depois que cheguei sensibilizada de uma prática intensa, que veio após a minha primeira led class da segunda série (ontem), que terminei totalmente 'passada'... E ainda assim, cheia de energia pra começar o dia longo...
Shake morango+banana+açai em pó+leite de soja em pó+mel. Roupas na máquina. Café. Lavar louça. Varrer a casa. Estender a roupa. Calças jeans na máquina. Lavar o banheiro. Estender a roupa. Cozinhar. Almoçar. Café. Sorvete. Internet. Lavar louça. Limpar a cozinha. Esfregar o chão. Atrás do fogão. Pia. Quebrar um copo. Organizar. Tomar banho. Tiger balm na lombar. Óleo de gergelim no corpo vateado. Ahh preciso escrever... O mais importante da vida, é viver.


Vida de Ashtanga



Praticar todos os dias é ir em direção a transformação. Fisíca, de pensamentos, de tendências mentais, de padrões...
Ir além dos limites colocados pela mente.
Quando passamos por algum desafio, no geral dizemos "eu não consigo".
Na vida, no dia-a-dia, é assim... A mente nos impõe limites, barreiras, obstáculos, o que pode vir também no formato de uma dor, tensão muscular, encurtamento...
A mente e o corpo. Somos um.
Não há separação.
Então, se a mente diz "não pode" e o corpo diz "posso sim", quem vence? Quem transpassa o limite? Quem vai além do cansaço, da dor, do suor...?
Não é a mente. E também não é o corpo.
Algo que vai além das nossas percepções táteis.
Algo que nos impulsiona a viver com tesão.
Algo que faz a vida ser bela.
Algo que nos permite sentir o amor verdadeiro.
Algo que permita que exista a entrega sem barreiras.
Algo que não quero nomear, para não colocar limites na liberdade de ser quem és.

Practice, Practice, Practice...
Se existe alguma fórmula, ai está.

OM NAMAH SHIVAYA

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O lamento de tantos 'ais'

A paz...invadiu o meu coração...

Será que algum dia a inquietude vai passar?
Tudo vai bem, tranquilo, sem nenhum drama. De repente aparece algum "problema", como falta grana pra voltar pra India... ou uma dor que me acompanha a tempos... Mas nada grave, só coisas que sei que com o tempo e paciência, passam.
Então por que a paz completa e eterna não permanece?
Por que sempre vem alguma sensação aqui dentro de que falta algo?
Vai além de algo concreto que pode ser externalizado em palavras.
Não é tristeza, nem pena, nem depressão, nem nostalgia...
Algo que sequer passa pela mente.
Uma sensação que se manifesta aqui dentro e está limitada ao corpo físico. E que não posso nem dividi-la com ninguém, pois vira papo de maluco.
Como vou dizer o que sinto se nem eu sei?
Quando tento explicar vem logo um pensamento acompanhando... Não seja ingrata!
Dai fico quietinha e respiro. Pratico. Observo. Agradeço. Aceito.
Tenho tudo. Não tenho coragem de pedir nada mais ao universo.
Ahh que mistério é a vida.........!


"A essência do karma é saber a verdade sobre si mesmo 
ao indagar 'Quem sou eu, o ator que executa as ações?'
Ao menos que ele que executa o karma, ou seja o ego, 
seja eliminado através da indagação, 
a paz perfeita da alegria suprema, 
que é resultado do karma yoga, 
não pode ser alcançada".
Sri Ramana Maharshi - Se Lo Que Eres

As vezes me pego pensando...


A tempos atrás, quando eu nem sabia o que pensar da vida... Me pegava filosofando sobre como seria se eu voasse...
Ficava olhando o céu sem fim... Azul...
Passava uma nuvem... Outra... E outras...
E eu ali... Parada mirando o infinito...
As vezes vinha um pensamento... Que me fazia desconcentrar do céu...
Que dizia... Para de sonhar com o que não existe...
Mas dai sem querer eu voltava a sonhar...
Com o céu sem limites...
Podia ficar horas ali... Olhando... Olhando...
Sonhando...
Ainda acredito que posso voar...
Ainda acredito que sou criança...
Ainda acredito que posso sonhar...
Ainda acredito que tenho esperança...
E sempre vou acreditar...

Un amor violento



Cuando por primera vez
Te ví
Supe que el cielo
Era para tí
Y para mí
Y para tí
Y para mí

Nunca más podré dormir
Nunca más podré soñar
Con nadie que
No seas tú

Gastaré toda mi vida
En comprar la tuya
Gastaré toda mi vida
Y más...

El amor tendrá que esperar
Un buen rato
Para descansar
De tú y de mí
De tú y de mí

El amor tendrá que esperar
Un buen rato
Para descansar
De tú y de mí
De tú y de mí

Gastaré toda mi vida
En comprar la tuya
Gastaré toda mi vida
Y más
Y más
Y más

Porque un amor violento
Nos deslumbró
Un amor violento
Nos fulminó

Los Tres - Un amor violento

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Sabedoria do não saber

Sabemos que a vida é passageira.
Sabemos que nada é tão certo como a morte.
Sabemos que dinheiro não compra a felicidade.
Sabemos que para ser feliz basta estar vivo.
Sabemos que temos que morrer em vida para evoluir.
Sabemos que só existe o agora.
Sabemos que o tempo não existe.
Sabemos que só existe separação quando a criamos.
Sabemos que somos todos um.
Sabemos que a divindade está em tudo.
Sabemos que o que vale é a beleza interior.
Sabemos que de nada adianta a expectativa.
Sabemos que só alcançamos algo mediante um esforço.
Sabemos que devemos agradecer muito.
Sabemos que não possuimos nada.
Sabemos que amar não é igual a apego.
Sabemos que todo conhecimento não é nosso.
Sabemos que nada foi descoberto, somente transformado.
Sabemos que pensamos que sabemos alguma coisa.
Sabemos que a mente nos engana.
Sabemos que devemos seguir o coração.
Sabemos que somos felizes desnudos.
Sabemos que a felicidade não depende do outro.
Sabemos que a vida não tem nenhuma fórmula, nenhuma regra certa, nem um fim exato. Que temos que viver o agora, sorrir e curtir o momento presente. Podemos ter objetivos, transpassar limites, ir ao extremo com alguma prudência e respeito. Pois mesmo sem saber onde vai dar tudo isso, algo nos impulsiona a viver cada dia, a filosofar sobre o incerto, a usar a criatividade e o corpo.
Sem criar verdades ilusórias, nem redes que nos amarram, deveríamos ter como unica finalidade, viver.

sábado, 24 de setembro de 2011

Do light ao dark side

Con-viver
Viver-com
Agregar na vida
Com-partir
Partir-com
Dividir um espaço
Unir
Amar
Sentir
Meditar
Se mostrar
Ser quem és

Não basta só querer o claro
Tem que enxergar o escuro
Não pode gostar só do branco
Tem que aceitar a existência do negro
Viver junto é construir
Se olhar
Respeitar
Ter paciência
E amor
Saber que a paz sempre volta
Depois do terremoto
Reconstruindo o que ficou fragilizado
Colocando tudo no seu devido lugar
E seguindo a vida feliz
Com o que nos tocar

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Yoga

Tem dias que acordamos e a unica vontade que temos é voltar a dormir.
O sono foi pesado, cheio de sonhos e o despertar é lento, sem vontade.
O corpo reclama, a cabeça pesa, não vem nenhum ânimo ou estímulo que ajude a mudar.
Olho para o tapetinho....que preguiça! Tenho duas opções, não praticar ou praticar. E só depende de mim.
Não encontro nenhuma desculpa que vá além da preguiça, e sei que se eu não fizer nada para mudar o dia vai ser como está lá fora. Cinza.
Aqueço a sala, estendo o tapete, acendo uma vela e um incenso, e começo a respirar.
Difícil me mover, continuo pesada. Mas já estou aqui, então sigo sem pensar. Pratico até onde posso, e tiro a 'zica' que me acompanhava. Junto com os movimentos e a respiração, o sol aparece lá fora, e muda o dia por dentro também.
Sim somos sempre instáveis, flutuantes, em movimento e mudança constante.
O que me faz praticar? O que me move? Por que não fiquei na cama?

"A prática de yoga é igual a corrida de obstáculos. Muitas obstruções são colocadas intencionalmente no caminho para que as ultrapassemos. Estão lá para fazer-nos compreender e revelar nossas próprias capacidades". 
Os Sutras do yoga de Patanjali, Swami Satchidananda

sábado, 17 de setembro de 2011

Given to fly!!!!!!!

O amor que ele acolhe...
é o amor que ele salva...


Voando mais um ano
Na vida que voa
Enfrentando mais uma vida
De um ano que vem
Passar dos trinta
Não é nenhum problema
É olhar para um corpo
Que transforma
E não se detem
A idade não me assusta
Nem é um tema
Pois sei que onde estou
É a passagem
De um poema
Na real,
Faço da vida o que quero
Mesmo sem uma rima
Expresso os sentimentos
De um ser em mutação
Que faz parte deste mundo
Ou não...

Então...sem mais rimar, brincar, viajar nas letras... o que quero expressar com minhas palavras é um sentimento de gratidão.
O coração se aperta e se abre, num sentido de transformação através desse unico veículo que temos. Um canal de abertura e quebra de padrões. Mudanças extremas e intensas. Que nos leva a algum sentido e nos tira do caos. Ou pelo menos nos distancia da "normalidade".
Acreditando ainda que a vida não tem nenhum sentido, mas há sentido no viver, a unica coisa que desejo em mais um dia de aniversário, mais um ano de vida, é continuar sendo feliz e livre.
Independente de qualquer instabilidade que vai acontecer.
Não importa...
Só quero ser feliz.

Mando muito amor para as pessoas que eu amo..........e agradeço por ser quem sou...
Perfeitamente imperfeita.
: )

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Seguir na batalha


Um guerreiro só faz jus a sua condição se chegar no fim da batalha.
Não importa se vivo ou morto, e sim a forma que traçou seu caminho para chegar ali.
Abandonar a batalha no meio do percurso é não passar por todos os processos necessários para a evolução.
Seria transgredir as regras. Não respeitar o que lhe foi dado.
Gratidão não basta. Tem que agir.
Nada é entregue de graça, por isso o guerreiro deve lutar até o fim.
Com o coração.
Esquecer da mente.
Focar no objetivo.
Milhares de distrações aparecem diariamente no caminho.
Algo que chame atenção do seu desejo.
Algo que desperte a fome.
Um instante de fraqueza.
Um momento de dor.
Tudo pura distração…
Vai entrar nessa da mente ou voltar ao que você é?
Um guerreiro.
É simples encontrar a chave. Só depende saber de onde vem.
Se vem do coração, Verdade.
Se vem do desejo, distração.
Por isso existe a prática diária.
Para ser um guerreiro que não se deixa derrotar pelas distrações, tem que praticar muito a auto-observação.
Não basta ler, tem que fazer.
Não basta falar, tem que praticar.
Disciplina, esforço, intenção, foco, persistência, fé.
Fácil não é.
Mas quem disse que viver é fácil?

Perguntas sem fim

Perguntas deixam a mente inquieta.
Por que? ... Por que? ... Por que? ...
Não encontra nenhuma resposta. Está bloqueada. Travando os sentidos.
Não me permitindo estar.
Busca sentido naquilo que não possui resposta.
Quer saber o inexplicável.
Está querendo ir além do que há no agora.
Talvez a resposta esteja clara, mas o medo a obscurece para não encarar a realidade.
Ainda bem que o medo não persiste para sempre, e logo haverá um momento de claridade e abertura para que as respostas cheguem.
Enquanto isso, tenho que respirar fundo, ... tranquilizar o coração, ... deixar as lágrimas caírem, ... retomar o lindo sorriso, ... e viver o que tem que ser vivido.
Agora.
Aqui.
Pois só vivendo o presente eu posso compreender o porquê de eu estar aqui.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O som do silêncio




Está escutando o barulho que há aqui fora?
Está escutando o silêncio aqui dentro?
Está escutando o silêncio que está aqui fora?
Está escutando o barulho aqui dentro?
Se ouve esse barulho, surgem algumas gotas.
Como lágrimas que pingam e expulsam a expectativa.
Que um dia existiu.
Pode ser que tenha fluido como um rio.
Mas que hoje é só uma gota.
Um pingo, no meio do que um dia foi um oceano de emoções.
E que hoje não aumenta com a chuva.
Nem seca com o sol.
Vem e vai...
Junto com o silêncio.



Bem-vinda Soledad

E mais uma vez, me vejo só.
O caminho de cada um é toda vida solitário.
Cremos que nos unimos a alguém para nos acompanhar na solidão.
Mas a solidão é 'inacompanhável'.
A solidão é inevitável.

Pura ilusão,
achar que alguém irá nos acompanhar...
na solidão.





Soledad,
aqui estan mis credenciales,
vengo llamando a tu puerta
desde hace un tiempo,
creo que pasaremos juntos temporales,
propongo que tu y yo nos vayamos conociendo.

Aquí estoy,
te traigo mis cicatrices,
palabras sobre papel pentagramado,
no te fijes mucho en lo que dicen,
me encontrarás
en cada cosa que he callado.

Ya pasó
ya he dejado que se empañe
la ilusión de que vivir es indoloro.
Que raro que seas tú
quien me acompañe, soledad,
a mi, que nunca supe bien
cómo estar solo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O amor é metade morte, metade vida

"O amor tem uma qualidade da escuridão em si,
porque ele tem profundidade.
A escuridão é sempre profunda,
a luz é superficial.
Mesmo que haja luz, ela é sempre superficial.
Olhe: o dia é superficial - a noite é tão infinita...

O amor é como a escuridão, repouso profundo...
queda numa tremenda profundidade.
A morte também é escura - 
em todo o mundo, a morte tem sido pintada como algo escuro.

O amor é escuro, a morte também é escura - 
existe uma afinidade entre o amor e a morte também."

Osho - Vida, Amor e Riso

Samsara

Qual o sentido dos ciclos da vida?
Vários se repetem, e seguem no samsara.
Repetindo...Repetindo...Repetindo...
Há algum motivo?
Ou na verdade isso não importa?
Por que as pessoas sempre seguem esse mesmo fluxo?
O mesmo padrão.
Talvez porque tenha que ser assim, e não há mudança. Nem explicação.
Nem como ajudar a mudar.
Talvez o sentido da vida de cada um seja esse, manter nas repetições e não fugir.
Até aprender e quem sabe mudar. Ou não.
Ou simplesmente não querer mudar.
Não querer deixar de repetir.
Seguir o samsara.
E viver assim.
Feliz assim.
Triste assim.
Aceitar viver assim.
Até morrer como todos.
E não transformar nada mais em si.
Somente nos outros que enxergam.
E mesmo assim, não podem fazer nada.
Já que a mudança só pode partir de si mesmo.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

2 anos...

Hoje...
Meus olhos se enchem d`água
Meu coração transborda saudade
Que não significa tristeza,
nem melancolia
A felicidade de um dia ter vivido
A lembrança de frases especiais,
que hoje as vivo
A saudade de receber seu abraço de pai,
que me protegia
Os ensinamentos que ficaram marcados,
e hoje sou quem sou
Uma parte de você que ficou
As conversas profundas sobre as questões da vida,
que eu ainda não compreendia
por não ter vivido
Falávamos da vida e da morte
de Deus e de amor
da família e do que importava
Agradeço a ti com todo meu amor
Pela vida

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A amizade

O que nos aproxima das pessoas 
é a crença de que o que acreditamos 
se aproxima da crença do outro.

O que faz se tornar uma verdade.

Amar é viver

Vivo o amor...
e tenho a esperança que o verdadeiro amor exista...
para persistir em manter esse amor...
para que este amor permaneça...
e nunca se perca...
e sempre esteja.

O mistério do sentir


Lidar com o sentimento parece ser objeto do coração.
Mas talvez seja da memória.
Ou da mente.
Só sabemos lidar com um sentimento se sentimos de verdade.
Se sentimos com a mente, podemos manipular.
Mudar rapidamente.
E não sentir.
Viver o sentimento é para poucos que tem coragem.
Sentir verdadeiramente o que o coração expressa.
Grita.
Alardeia.
Chora.
Sentir um sentimento nada mais é que viver verdadeiramente as emoções.
Sem esconder o que pulsa.
Sem apagar o fogo do coração que vive.
Sofrer por saudade.
Chorar por amor.
Sorrir por viver lembranças.
Se orgulhar por ser.

Que sea eterno, mientras dure


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Tudo novo

Ahh as mudanças...
Como é bom se mover...e como é bom parar.
Como é bom ir...e como é bom voltar.
Como é bom sair...e como é bom chegar.
Como é bom buscar...e como é bom encontrar.
Como é bom esvaziar...e como é bom cheiar.
Como é bom instalar...e como é bom criar.
Como é bom crescer...e como é bom amadurecer.
Como é bom transformar...e como é bom manter.
Como é bom lutar...e como é bom conquistar.
Como é bom mudar...e como é bom viver...o novo.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Eu agradeço... eu agradeço

Sempre tenho que lembrar que o mais importante durante o processo é ser agradecido.
Agradeço ao Universo por tudo que tenho recebido.
Não devo me importar com o porquê dos acontecimentos.
Sei que tudo que Um recebe na vida vem de acordo com o merecimento.


Entrego - Confio
Recebo - Agradeço


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O que nos limita

Falar ... pensar ... não falar
Mover ... pensar ... não mover
Perguntar ... pensar ... não perguntar
Agir ... pensar ... não agir
Sorrir ... pensar ... não sorrir
...




O que nos limita para que não sejamos espontâneos?
Ser espontâneo é ser natural. É deixar fluir. É viver de forma simples e sem poréns.
A espontaneidade nos liberta para sermos o que somos.
Todo o contrário é limitante.
Pensar antes de fazer, racionalizar, analisar... Passou pela mente já não há entrega. Nem liberdade.
Ser espontâneo é dar asas a imaginação, deixar fluir a intuição, dar sentido aos instintos, viver a inocência do coração. 
É libertar a limitação que a mente cria em restringir nossos atos, nossa vida, a existência.


Ser limitado é deixar que o presente seja vivido de maneira obscurecida. Irreal.


A unica forma de levar a vida de uma maneira mais livre é vivendo o simples presente. O aqui-agora. Tudo está da forma que está, sem criações, invenções ou projeções. O presente é. E deve ser vivido já.

Se for postergado pode não acontecer de verdade, e virar uma pequena frustração de algo que ficou incompleto. E não mais se preencherá.
Dessa forma a história da vida acaba sendo uma porção de lacunas, que deixaram de ser preenchidas por pura limitação que nós mesmos criamos. 
Vira uma experiência não vivida.
Uma existência cheia de expectativas.
Talvez uma quase-vida.
Que não é liberada pela unica coisa que nos limita.




quinta-feira, 28 de julho de 2011

Ja élvis.....


Esqueça...

você nunca mais será quem você era

nunca mais fará o que já fez

e nem viverá da forma que viveu

Desapegue do passado

e viva o novo

sem amarras

Para ser livre

você tem que se libertar

se jogar de cabeça

de coração

Se entregar à surpresa da vida

à beleza da fluidez

ao amor a si

Brilho eterno de uma mente em processo.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

esqueleto

Temos que morrer
para conseguir viver o novo.
Deixar que a morte do que somos venha
para agora sermos no presente.
Encarar a mudança integralmente
para que não exista o passado na mente.
Encontrar o próprio espaço
dentro de nós mesmos.
E assim estarmos inteiros
e livres de verdade.

O outro

O outro é um instrumento.
Um mecanismo.
Um plus.
Uma ferramenta.
Essencial para que nós nos olhemos.
Para podermos ver.
O que não conseguimos enxergar.
Como um reflexo.
Um preceito.
Um auxílio.
No caminho individual.
Que traçamos sozinhos.
Em direção a algo.
Que não sabemos o que é.
E nem onde nos leva.
Mas nos dá a segurança de que estamos vivendo.
De que estamos inteiros.
De que estamos presentes...
Seja lá o que o futuro nos trará.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Tão bom voltar...

Praticar é limpar a mente maluca e falante 
de todo o lixo e escuridão que ela gosta de se apegar.


quinta-feira, 21 de julho de 2011

Infinito...............




Eu não sou dona de nada
E não pertenço a nada
Ao mesmo tempo sou igual a tudo
E faço parte do todo.

Não quero ser ninguém
Nem chegar a lugar algum
Porém não fico estagnada
E sigo para algum lugar.

Não penso no futuro
Mas quero vive-lo bem
Vivo intensamente
Sempre curtindo o presente.

Não tenho medo da morte
Não tenho medo da vida
Sou muito mais forte
Que um instante da vida não vivida.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A beleza da natureza

Ao invés de perguntar
Aprenda a aceitar


Já que não somos perfeitos
Como a natureza

Mas somos livres
Na essência

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Aprendendo a viver


Tudo tem um tempo para acontecer.
Nada é imediato.
Tem que passar pelo processo.
Não tem como pular nenhuma etapa, senão não fica completo.
Cada passo tem que ser dado.
Cada espaço deve ser preenchido.
Cada esforço merece o seu valor.
Cada ação possui um retorno.
A sequencia da vida.
Não tem nenhuma regra a ser seguida.
Mas existem caminhos que podem ser percorridos.
Para então chegar a algum lugar.
Que não é este que você está.
Nem é aquele que está a imaginar.
É algum outro que tem a ver com a história.
A vivência.
Diferente da memória.
Ou da imaginação.
A realidade do momento presente.
Saber aceitar o que vem da melhor forma.
Entregar ao universo.
Confiar.
Aprender a viver.

Sempre ela...


O jogo da mente é muito perigoso.
Quando estou fraca, sensível, a primeira coisa que aparece é a insegurança.
Vem a sensação física.
Dá um aperto no estômago.
Uma confusão maluca que não faz sentido.
Que horrível esse buraco.
Não vou entrar nele, senão me perco.
Perco o que sou e entro na ilusão.
O que resta é respirar fundo e saber de onde vem.
Sem cair na repetição de padrões.
E relaxar.
Já que a vida é maravilhosa.


quinta-feira, 14 de julho de 2011

Ter fé, não só crer


O que são as crenças?
O que cada um crê é tido como uma verdade individual. Mesmo que não se adeque à realidade.
Daí já segue outra questão: o que é realidade?
O que cada pessoa crê é a realidade que cada um cria para si.
E assim é o seu mundo.
Existem mundos diferentes, mesmo parecendo que todos fazemos parte de um só mundo.
São vários universos.
Vários grupos.
Incontáveis mentes.
A mente do ser humano crê para buscar ter fé em algo que ela não sabe realmente se existe.
Então ela crê, mas procura explicações.
O que difere da fé.
Na fé não há espaço para questionamento.
Na fé não há espaço para ‘será?’.
Ter fé é seguir na verdade.
Que difere de crenças.
Pois não existe separação.
A verdade única que dá um sentido a vida.
Que no fundo não há sentido.
Quando existe fé há a verdadeira entrega para o fluxo da vida.
Para que tudo que apareça, aconteça naturalmente.
E seja preenchido pela vida de uma maneira simples.
Mesmo que sem sentido para o que não há explicação.

Mente solta


Ondulações da mente.
Vrttis.
Instabilidade.
Ao se envolver com uma situação, a mente dá importância àquilo.
Como se aquilo fosse realmente importante.
E se esquece de todo o restante.
O que é importante.
Se envolve no ‘problema’.
E busca um resultado sempre satisfatório.
O que pode trazer frustração.
E daí desânimo, insatisfação, tristeza…
Já que o ser humano quer sempre satisfação.
Formas do apego.
Do ego.
A mente se envolve quando está solta.
Quando tudo que ela dá importância parece ser importante.
Quando não está com foco em algo mais.
Quase sempre, no dia-a-dia, a mente está assim.
E isso quer dizer que há uma outra forma, diferente, de lidar com ela.
Essa forma é um treino,
Algo que requer muita vontade de mudar.
Para poder estar.
Meditar.
Levar a mente a um ponto.
Manter este estado para viver.
E tomar este estado como O importante.
O que pode trazer satisfação verdadeira.
Que não vem dos gostos e aversões.
Vem da pura essência da felicidade.
De simplesmente estar vivendo.
Respirando.
Em paz com tudo que a vida traz.
Relaxado diante de qualquer estado.
Feliz e presente, se permitindo às vezes estar…
Ausente.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A virtude de ser paciente




A paciência é uma prática que vem com o tempo.
Deve saber ser usada.
Encaixada.
Decorre da maturidade.
Dependendo da situação, tem que ser colocada naturalmente.
Com muita sabedoria.
Sagacidade.
O ser humano deve ser esperto para viver.
E um dos requisitos mais importantes para viver em comunidade é ter paciência.
Saber de verdade que tudo passa.
Inclusive a instabilidade.
A intolerância é um problema que vem do egoísmo.
Cada um pensa em si e nas próprias verdades.
Que não existem.
Que são ilusórias.
Tudo que é criado pela mente é assim.
Cria restrições.
Destinções.
Separações.
Ser paciente é um treino.
Uma prática inteligente.
Que se levada com leveza,
Facilita viver verdadeiramente.
Em comunidade.
Com o coração leve.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Lo que es simple


Lo que es simple no necesita explicación.
Es la decisión tomada a partir de la esencia.
Del corazón.
Simplemente es.
Solamente lo que es complejo necesita ser pensado.
Racionalizado.
Explicado.
A vida puede ser vivida de varias maneras, y solo depende de nosotros el modo en el cual queremos vivirla.
Lo que nos hace feliz.
Enteros.
Realizados.
Nosotros escogimos vivir el presente.
Simplemente abrazando lo que nos toca vivir.
Donde lo bueno y lo malo no existen.
Todo es enseñanza.
Evolución.

Sin expectativas.
Ni ilusiones.
No creamos nada en nuestras mentes para nos unir.
Apenas sentimos el amor verdadero desde el corazón.
Aquel amor que nos deja ser quienes somos, de forma libre.
Un sentir que no puede ser explicado en palabras.
Un sentir que solo tiene explicación a través de lo sutil.
A vida solo tiene sentido si es vivida con felicidad.
Y esta felicidad independe del otro.
Ella ya esta. Y es parte de cada uno de nosotros.
El amor que conocemos racionalmente no es real.
Ese amor racional tiene que ver con el ego.
Amar esperando ser amado.
Quien espera algo?
Quien tiene expectativa?
El ego. No el yo real.

El amor verdadero va en dirección a cualquier ser, a todo y todos que son parte del mundo en que vivimos.
La ilusión viene siempre de la mente, aquella que crea, difiere, juzga, gusta, escoge.
Sentir con la mente.
Senti-miento.
Senti-mental.

La mente crea separaciones.
El amor une.

De aquel punto de luz que esta vivo dentro de todo lo que conforma el universo.
Algo único, sin distinciones, que no necesita ser buscado ni conquistado.
Ya que esta y siempre estuvo.