quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Da vida que sonhei...

Às vezes me canso de ser eu mesma.
Quero olhar para mim e dizer que sou outra pessoa.
Às vezes me dá preguiça de ser eu mesma.
Quero me espreguiçar e sair correndo de dentro de mim.

Mas quem disse que não posso ser outra pessoa?
Desde que me conheço como um ser pensante, fecho os olhos e crio histórias.
Posso ser protagonista, coadjuvante, figurante, observadora...
Não importa o papel que tenho nessas histórias.
O que importa é vive-las dentro de mim.

Muitas das histórias que criei se tornaram realidade.
Complexo falar em Realidade...
Mas falando dessa verdade que vejo com os olhos, muitas delas vivi.
E ainda vivo.
Quando me canso, fecho os olhos.
Me volto para dentro.
E retorno a minha casa.

Concluo que não tem como fugir.
Nem escapar da canseira dessa vida mundana.
Vive-la em paz é mesmo um desafio.
Mesmo quando faço o que amo, o que criei, o que sonhei.
Ainda assim continuo sonhando com uma vida.
Que talvez exista.
Que talvez eu viva.
Que talvez vire história.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Quando vejo, já mudei

Várias vezes já pensei...por que será que nunca percebemos que envelhecemos?
Talvez porque seria assustador acordar, olhar no espelho e se dar conta da mudança, da noite pro dia.
Perceber a mudança pode ser mesmo assustador se a pessoa não está preparada.
Meu corpo tem mudado há alguns anos, desde que comecei a praticar. E durante todo esse processo doeu, dói, por dentro, por fora, nos nervos, às vezes dói até o cabelo, a unha... Mas poucas vezes me dei conta do dia da mudança, afinal, já que é um processo não tem um dia específico. Vai mudando...todos os dias.
Essa é a natureza, não só humana, mas do Todo. Mudança. Transformação.
Nada, simplesmente NADA é igual.
Eu não sou a mesma nunca. Estou em constante transformação.
Mudando. Transmutando. Envelhecendo.
Quando era criança achava que minha mente também envelheceria. Hoje em dia percebo que ela acompanha um processo de maturidade, que vai indo junto com o corpo. Porém ela não envelhece nunca. O corpo sim, tem idade. Mas já que a mente não tem idade, posso ser um Ser jovem, uma criança madura, para sempre.
Ah, isso é libertador...poder me desidentificar do corpo e te-lo mesmo como o meu instrumento, que vou continuar cuidando, claro, com muito amor.
Então assim, posso manter a minha prática diária, livre e feliz, encarando as mudanças, as dores e flexibilidades como partes do processo, mas não O processo em si.
Afinal, tudo muda...
Hoje sou o que não fui ontem e não serei amanhã.
Só sei que estou.

sábado, 25 de setembro de 2010

We are all the same

Esse dia faz parte daqueles que nada acontece por acaso, tudo da certo no final...e a conclusão é sempre a mesma, a vida é um espetáculo!

Estava indo dar aula e recebo uma mensagem da mana: Tem um convite sobrando pro show do Yanni, vamos?
A mente se agita na hora. Claro! Oportunidade única. Ainda mais de graça, num show que custa uns 800 pau... Mas, agora? Já? Não posso, dou aula. Como faço? Duvida, indecisão, a mente não foca e não encontra solução, até ouvir...vai depois, direto da aula, dá tempo! Humm...Marginal Tietê, Marginal Pinheiros, Credicard Hall...é longe, ai como SP é grande...tem trânsito, estacionamento... Bom, ok eu vou!
Cheguei exatamente no momento que começou o show. Deu tudo certo.
E foi INCRÍVEL!

"We are all the same. We have the same capacity. - Somos todos iguais. Temos a mesma capacidade".
"Believe in your dreams. Dreams come true - Acredite em seus sonhos. Sonhos tornam-se realidade".
Yanni

Tá véio?

"A gente não tá véio não,
só tá usado!"

Dona Lindaura, falando da vitalidade do Seu Zé, aos 70 anos.

Imagem

Quem sou eu?
A imagem que crio de mim?
A imagem que vêem?
A imagem que passo?
A imagem que cada indivíduo cria?
Sou uma imagem?
Criamos personagens?
Criamos papéis?
Mudamos a imagem de acordo com o momento?
Com o tempo?
Com a circunstância?
Com o papel?
Com a companhia?
Essa imagem existe?
Ou é criação da minha mente?
Sou uma projeção de algo que quero ser?
O que acho que sou?
Será que os outros me projetam e não sou nada disso?
Quem sou então?





Satsang - Prem Baba

No dia 12.09, um dia depois de encontrar Uma Krishnamurti, fui no Satsang do Prem Baba, encontro que acontece no bairro da Liberdade, que começa com canto de mantras (bhajam) e continua com suas belas respostas a partir de questões que nós, pessoas com mil questionamentos, fazemos.
Uma questão, muito bem desenvolvida na resposta enorme do Prem Baba, foi: É possível haver paz nos relacionamentos?
Minhas anotações...

Estamos aqui para amar conscientemente.
O eu real expressa o amor consciente, desinteressado. Com a vontade sincera de ver o outro brilhar.
O processo de transformação começa com a identificação das "partículas" que fazem encobrir nosso eu inferior.
Identificar, reconhecer e aceitar é o 1º passo do processo.
Reconhecer o prazer dessas manifestações é o 2º passo.
O 3º passo é reconhecer as consequências, o preço que você paga com a identificação com essas partículas.
Mude o foco de sua identificação!
O real ser se manifesta em partes, em algumas áreas. Aquela que você se sente azarado, são as partículas que devem ser trabalhadas para serem removidas.

Como os relacionamentos podem ajudar na purificação das camadas que encobrem o ser real?
A paz é possível nos relacionamentos?

Mesmo que você se isole, você ainda se relaciona com o mundo.
Trabalhar a revelação do amor consciente.
O ódio em relação ao sexo oposto é a raiz da guerra.
A paz é estabelecida quando houver harmonia entre o masculino e o feminino, como princípios universais de todos os seres, em todos os aspectos.
A ausência de paz faz com que você machuque o outro. Aí é o momento de olhar para você, ao invés de colocar os defeitos no outro. Pergunte: Será que eu não tenho um defeito "parecido" com o dele?
Pergunte, mas queira enxergar e interromper a guerra. Pois isso é uma via de fuga do processo de transformação.
Compreenda e perdoe o outro.
De que vale suas qualidades se você não é capaz de compreender e perdoar? Se você alimenta a guerra?

Observe o grãozinho que tira sua paz.
Reze, para compreender a SUA responsabilidade. Tenha percepção objetiva da vida, com o foco na Verdade.
Evitamos a Verdade por medo, ou por orgulho.

Aceite o outro do jeito que ele é, mesmo com seus defeitos, mesmo que isso signifique: ele não te ama.
Trabalhar a aceitação é uma estratégia para fazer com que o outro te ame.
Muitos usam a sedução, a luxúria, para que o outro supra as suas expectativas.
O amor consciente só é possível com a liberdade.

Qual a razão da vida?
Revelar esse amor e a liberdade.

Sim, a paz é possível. Desde que você realize a transformação das capas que encobrem o Ser real.
Cura da carência, da criança ferida, da compulsão de ser amado exclusivamente...

Quando você assume um erro, você traz o outro para perto. Do contrário, você o afasta.
A perfeição não existe nesse mundo. A humildade possibilita aceitar a imperfeição para ser capaz de amar.

Lembre-se: O outro é o seu mestre.

Encare os ataques como um presente de Deus, uma possibilidade.
Se a vida é uma escola, o relacionamento é a Universidade! E nessa escola você não compra diploma. Então, ou você aprende a AMAR, ou você aprende a PERDOAR!
Se está batendo na sua porta, é seu! Esse é o seu trabalho. É o momento de encarar qual é o seu vício. Somos viciados na miséria humana, no sofrimento.

O caminho é simples. Mas não é fácil.
Tenha firmeza na jornada. 

Om Namo NārāyaNāya
Om Namo NārāyaNāya
Om Namo NārāyaNāya
Om Namo NārāyaNāya

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Vida de histórias

Cada história é diferente...
Interior
Cada viagem é diferente...
Exterior
Cada momento deve ser vivido...
Com amor
Cada amor deve ser vivido...
Com louvor


Mais um passo

Agora já foi
Agora já é
Decidi
Dei um passo
Mais um...
Entre tantos
A vida é cheia disso
Passos
Caminhadas
Corridas
Caminhos
Direções
Tudo aponta para um lado
Destino
Escolhas
Decisões
Pode gerar incerteza
Medo
Ansiedade
Duvida
Mas para decidir,
Basta um sim
Ou um não
Então...
Agora é só olhar para frente
Seguir o objetivo
Acreditar na escolha
Sorrir para ela
Encarar a realidade
Continuar acreditando nos sonhos
Fazer o que deve ser feito
Com coragem
Determinação
E fé!
Força no caminho...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Uma Krishnamurti


No dia 11/09 fui no workshop da Uma Krishnamurti, no UMA Paz, no Ibirapuera. Ela falou de amor, fez dança indiana e cantamos mantra.

Minhas anotações...

Duas coisas importantes com relação aos resultados na vida: Esforço humano e Graça divina.

Mantra serve para conhecimento do mundo e conhecimento da consciência. Humildade e atitude de prece.

Sofrimento tem origem de três formas: vem da mente; do destino; e da natureza.
Os mantras removem esses sofrimentos. Limpam a mente.
OM - representa a consciência suprema.

De onde vêm as emoções?
As emoções vêm da memória, e podem ser positivas ou negativas.
Através do yoga busca-se a integração.

O iluminado tem a habilidade de VER.
Não há dores na nossa consciência. Deve-se entender a consciência como sat-cit-ananda. Percepção, consciência e plenitude. A não dualidade.
Quem é o sábio? Aquele que transcende os sofrimentos psicológicos.
Yogi é aquele que pode penetrar na personalidade aparente e se conectar com o divino.

"Vejo Deus através dos seus olhos", disse Ramana Maharishi.

Os mestres são aqueles que transmitem emoções divinas.
A maior função do yoga é desenvolver essa concepção, em que você pode ver amor em toda e qualquer criação.
Transformar a nossa percepção - de CRÍTICO para O AMOR.
A percepção amorosa leva o amor para a outra pessoa.

Se você reza intensamente, a partir do seu coração, Deus vem a você diretamente.

Há quatro tipos de temperamentos e quatro tipos de yoga:
- pensamento - jnana (sabedoria)
- emoções intensas - bhakti (ligação direta com deus)
- ação - karma
- sensitivo - raja

Krishna é o avatar da alegria. Na dança de Krishna, a flauta representa a dissolução do ego.

Intuição é a inteligência da cabeça com o amor do coração.

Sempre sorria!!!

Como manter Deus sempre junto de mim?
Não há nenhum momento que não deixe de pensar em você.
Meditar em quem sou eu.
Entregar a Deus.
Pura devoção, movendo da dualidade para a não dualidade.

Como lidar com as emoções negativas?
Só o conhecimento não ajuda, precisamos de uma mudança psicológica para realmente mudar.
Nós nos identificamos com os instrumentos da consciência, como o corpo, a mente...isso advém de avidya, a ignorância. Vá além da mente, a memória só existe no espaço-tempo. Quando você vai além, você transcende isso, através de tapas, o esforço.
Purificação do subconsciente. 
O que acontece no samadhi? A memória se queima, ela existe mas não nos perturba mais. 
A memória deixa impressões no nosso corpo físico. Devido a isso que praticamos asanas, estes limpam essas impurezas. Pranayama limpam os canais de energia. Mantras  purificam a mente.

O melhor yoga é praticar a felicidade. Assim nenhum outro yoga é necessário.
Devemos ser inteligente nas ações, não causar dano aos outros. Sempre alerta, presente em todos os instantes e fazer uma pausa antes da ação.

Não fiquei prisioneiro do sofrimento, deixe que ele vá.
Qual a necessidade de chorar?
Deve-se entender o sofrimento e saber o que fazer com ele. Não perca tempo com as análises. 
As emoções positivas tem ações opostas, trazem saúde mental. Então, não se aprisione! Todos somos apegados aos nossos problemas. Se você é psicologicamente alerta, você não pega as más emoções para você. Geralmente pegamos as emoções dos problemas coletivos. Estamos conectados com as emoções! Devido a consciência coletiva.
Esteja alerta! Não aceite! Os pensamentos do coletivo não vão afetar você.
Transfira sua PAZ para os outros, aos seus amigos que sofrem.

Construa sua saúde mental com: Amizade; Compaixão; Percepção Consciente; Escolha.
Se não há sofrimento em você, você não transmite o sofrimento, pois ele não existe dentro de você.
A transformação pessoal gera a transformação mundial. Se um ser humano decide ser feliz, ninguém no mundo pode tirar essa felicidade dele. A felicidade está dentro de nós. 

OM purnamadah purnamidam purnatpurnamudacyate. 
purnasya purnamadaya purnamevavashisyate.
OM shantih shantih shantih 
A causa do universo é a plenitude, o universo é pleno. Da plenitude veio o pleno, tirando o universo pleno do pleno Senhor, que é a sua causa, somente sobre o pleno, o Senhor que é ilimitado. Om paz, paz, paz.

Cada um de nós é igualmente Divino. Assim, a felicidade está brilhando em nós. Conecte-se com sua própria felicidade. Não perca tempo com suas qualidades negativas.

Ouça os ensinamentos do Gita. Vá além do sofrimento. Conhecer seu Dharma é descobrir o porquê você veio nessa vida; suas capacidades positivas.
Dê sempre!
Não retenha sua positividade.
Não se preocupe com os outros.
Awereness!
Sempre há algo positivo na vida.
Aceite!
Agradeça a Deus por tudo que é bom que acontece em sua vida.

Yoga é nossa atitude perante a vida. O que acontece na vida é para o bem, você tem que ter olhos para ver isso. Mesmo no negativo há o positivo.

Seja alegre. Compassivo. Livre de ódio.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

All of my love, to you

E cá estou eu...
A cada dia mais apaixonada.
Amando.
De coração aberto.
Sem medo de ser feliz.
Querendo que dure para sempre.
Que esse amor seja eterno.
Mesmo sabendo que o sempre é agora.
Que eterno já somos.
Que seja eterno enquanto dure.
Que dure eternamente.
Vamos ser feliz.
Fazer planos.
Seguir em frente.
Compartilhar.
Viver.
Crescer.
Sorrir.
Juntos.
Eu, você, nós.

Sentimentos

Me lembro que há tempos sentia uma tristeza repentina.
Algo sempre faltava dentro de mim.
Nesses instantes não havia sentimento de felicidade.
Não havia luz.
Só enxergava um buraco.
Fechava meus olhos, chorava muito.
Os pensamentos se embaralhavam entre memórias, projeções, histórias criadas.
Desejos.
Não via nada além de escuridão.
Depois passava.
Ia embora com o vento.
Acalmava.
E seguia em frente.
Esse sentimento voltava em vários momentos.
Geralmente quando estava sozinha.
Introspectiva.
Hoje em dia ainda sinto algo que me tire do estado "normal".
Porém, é um pouco diferente.
Sinto uma oscilação para um estado de extrema felicidade.
Completa plenitude.
Eterno amor.

domingo, 19 de setembro de 2010

Horóscopo

Fazia um tempinho que eu não acompanhava meu horóscopo diário, num site que gosto e recomendo: astro.com. Hoje lembrei de consulta-lo... Poucos que sabem do meu processo atual vão entender.

Carregando água no cesto***
Válido durante várias semanas : Neste período de extrema importância em sua vida, será preciso prestar muita atenção ao que vem fazendo, pois você dará início a uma nova fase de atividades que terá profundos efeitos nos anos que virão. O mais difícil deste momento é a sutileza do processo, que pode impedi-la de perceber que é muito importante o que fizer agora.
Você acaba de atravessar um período de preparação em que provavelmente sentiu como se estivesse carregando água no cesto, sem conseguir chegar a lugar algum nem realizar nada. Algumas pessoas vivenciam o momento que antecede este trânsito como extremamente difícil, em que uma derrota se sucede à outra. Já para outro grupo, embora as dificuldades sejam menores, o período não é muito significativo.
Chega ao fim um período de relativas baixas em sua vida e, a partir de agora, você se aproximará gradualmente da época mais importante de sua vida.
Você deve ocupar-se de sua vida doméstica e pessoal, pois ela representa uma área que lhe exige grande responsabilidade agora. Não a negligencie numa tentativa vã de progredir em sua vida pessoal. Promova as mudanças que forem necessárias à segurança e estabilidade desse aspecto de sua vida. É possível que tenha havido rompimentos imediatamente antes deste trânsito. Agora terá a oportunidade de estabelecer novos relacionamentos que se adaptem melhor a seu novo estilo de vida.
Você ruma para a frente mais uma vez. O futuro depende das bases que lançar agora.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Trintão

Será que tem idade pra virar gente grande?
Não sei se tem. Mas parece que esse momento está chegando.
Tem tanta coisa acontecendo que nem sei como ainda consigo manter o foco.
Executo várias funções, entre diversos ramos, dos mais variados. Acho que o unico que não ressurgiu (ainda!) foi a função de advogada, ainda bem (sem desmerecer os 5 anos de facul + 2 de pós + 2 1/2 de escritório). Mas dessa parte não sinto saudade, nem de longe... Quer dizer, fazer faculdade foi bem divertido, afinal comecei com 17 anos! rs
Nessa idade eu não tinha idéia do que poderia ou queria fazer da minha vida. Na real, não sabia com quê queria trabalhar, porque o que sempre pensava era..."ah como me arrependo de não ter feito cursinho pro vestibular, aí com 18 anos intercâmbio, queria viajar, ir pra Austrália, EUA..."
Hoje essa ultima parte já encaixa mais na vida da Rosangela de hoje, não fui ainda pra Oz... Ainda! Mas, India, Europa, Chile... 
Até pensava na época que eu poderia mudar para turismo, psicologia, mas algo aqui dentro me dizia que o que eu mais 'NÃO' queria fazer, era faculdade. Poxa, não me encaixo nesse negócio obrigatório, ter diploma na parede e tal. Porém, não segui meus próprios conselhos e me formei, passei na OAB e trabalhei feliz, com duas sócias.
Bom, feliz, feliz, não sei... Mas me divertia no caos de tentar ser normal.
Hoje é muito interessante para mim, observar toda essa história que se tornou um passado remoto e não ter nenhum arrependimento, já que nunca "larguei" a profissão, nem "joguei no lixo" 10 anos de advocacia, como já ouvi há tempos. Na verdade a escolha foi feita num momento 'X' e a história que construo agora tem muita força dessa fase que eu queria ser gente grande, mas ao mesmo tempo não queria crescer.
Agora o que percebo da vida é que a maturidade começa com uma sementinha que é plantada quando ainda somos crianças e vai crescendo aos poucos a cada fase, como naquele primeiro dia que papai colocou uma moeda na minha mão e disse que aquele dinheiro era meu, e eu podia comprar meu lanche na cantina, no intervalo. Poxa, que responsa...agora tenho uma moeda e posso decidir o que fazer com ela! Vou gastar tudo em bala, claro.
E daí vem fases, fases, fases...conflitos mil... adolescência... um monte de choro... crise de identidade... momento menina-perna-longa / menino-voz-fina-grossa... vários primeiros: beijo, selinho, paquera, namorado, anel de compromisso, ficante, sexo, amor, briga, domingueira, balada, porre, carro, trabalho, aula de yoga... 
Tanta coisa se passa e o que mais queria era ser do mundo, não me preocupar com nada...a tal da liberdade de amar, se expressar e viver.
Talvez eu esteja no caminho certo, seguindo o que acho hoje o mais correto. Praticar yoga, dar aulas, viajar, estudar, aprender, compartilhar, escrever, fotografar, sorrir, viver, amar.
Quero dizer que sigo o meu bom-senso e, acima de tudo, o meu coração.
A vontade do meu Ser de Ser FELIZ!

Já que é aniversário e vou dizer muitos "Obrigadas", 

Gratidão

Agradeço a vida
por aqui estar.
Agradeço a família
por me gerar.
Agradeço aos amigos
por me adotar.
Agradeço ao namorado
por me amar.
Agradeço a Deus
por Ser.
Agradeço aos Deuses
por crer.
Agradeço aos Mestres
por ensinar.
Agradeço ao Ashtanga
por libertar.
Agradeço ao Céu
pela imensidão.
Agradeço ao Sol
pela combustão.
Agradeço a Lua
por suas fases.
Agradeço ao Mar
por suas ondas.
Agradeço as Montanhas
pela terra.
Agradeço aos Animais
pela existência.
Agradeço a Natureza
pelos alimentos.
Agradeço a Liberdade
com FÉ.
Agradeço a possibilidade de VIVER.

Namaste


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Dicen que vino del desierto

Salar del Atacama
Unos creían que un día vendría
Otros decían que no, porque su existir es incierto
Algunos lo buscaban con entusiasmada euforia
Otros lo rechazaban por duda, por miedo o por desacierto
Algunos dicen que lo encontraron por allí, entonces, crearon algunas alegorías
Otros lo inventaron en su imaginación y juran que lo que dicen es cierto
Algunos lo profesan con exuberante gallardía
Otros se callan, como que esperando, pero cuando lo sienten, se quedan boquiabiertos
Al fin y al cabo, tanto para algunos como para otros, su entendimiento es la mágica gloria
Y la gloria es la vida,
La vida es el todo,
El todo es él,
Y Él es, por esencia, lo indudablemente cierto
Porque está en todas las partes y, algunas veces, suele venir por el desierto.
 

(Tadany - 02 09 10)

Cargnin dos Santos, Tadany. Dicen que vino del desierto. www.tadany.org ®

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Olhar

Nós nos olhamos como somos.
Não olhamos a expectativa de ser algo que não somos ou criamos.
Apenas nos amamos.
E acreditamos na verdade de sorrir com o olhar.

Eu, você e nós

Quero respirar tranquila,
o mesmo ar que você respira.

Quero que minha natureza,
se torne a mesma que a sua.

Quero que meus pensamentos,
se unam com os seus.

Quero que nossos olhares
alcancem a mesma mirada.

E que nossa vida se mantenha unida,
em nós três.

Increíble San Pedro

Estar em San Pedro parece estar parada no tempo, ou ter voltado no tempo.
Na verdade não tem ligação com o "mundo desenvolvido" que vivo. Ou melhor, parece outro mundo dentro do mundo que vivemos.
Há tranquilidade, paz, sossego... mesmo sendo uma vida difícil, não há tanta preocupação.
Vive-se a vida de forma simples.
Uma cidade com 3 mil habitantes, no meio do deserto do Atacama. No meio do nada.
De dia, um calor seco, muito pó e dificuldade de respirar.
A noite a temperatura baixa e fica gelado, abaixo de zero.
Extremos.
Sem chuva. Nenhuma nuvem.
O som do silêncio entra pelos ouvidos e toma todo o Ser.
A beleza da vida aqui é manter-se reflexivo durante maior parte do tempo, contemplando a natureza, as montanhas, o céu, o alto das cordilheiras.
A mesma paisagem durante quilômetros de estrada...
Refletimos sobre a vida que temos, como conduzi-la, para onde leva-la.
Durante a noite o céu é incrivelmente iluminado pelas estrelas, se vê a Via Lactea, um negro infinito iluminado, os planetas, Netuno, Plutão, Marte, estrelas cadentes (aqui, fugaz).
Aqui estão os centros de observação com os maiores telescópios do mundo.
Além de tudo isso...Vulcões!
Chile tem mais de 20% de todos os vulcões do mundo. Grande parte, ainda ativo.
Incrível diversidade natural.

Ashtanga en San Pedro

Me sinto simplesmente maravilhada.
Parece que fui a outro planeta.
Uma outra dimensão qualquer, completamente distinta do que conheço.
Muito seco, ar frio, na verdade parece que não há ar. Falta oxigênio.
Dói adentro.
Dói a garganta.
A cabeça é pressionada.
Uma sensação intensa.
Cansaço que não é físico.
Talvez seja tanta energia que o corpo não compreende e, assim, reclama.
Uma sensação de apertado por dentro.
Como se eu não coubesse em mim.
Ar não entra.
O ar não sai.
Não há nada que se apegar, se prender, se preocupar. Só a liberdade de estar. Conexão com o divino. Todos os Yamas e Niyamas presentes.
O corpo se movimenta lentamente. Asana.
O corpo vibra como num Pranayama.
Os sentidos se aquietam. Pratyahara.
Os olhos se focam no sol. Dharana.
A mente pára em meditação. Dhyana.
Conexão com o UNO. Estado de graça. Samadhi.

Viver Ashtanga Yoga em San Pedro do Atacama.

Valle de La Luna

Não há perspectiva
Não há vida
Não há morte
Não há tempo
Não há ar
Pura natureza
Pura essência
Pura entrega
Pura energia 
Pura emoção
Realidade pura
Eterno vazio
Eterno silêncio
Liberdade
PAZ