quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A suprema felicidade sem motivo

Arunachala

A India proporciona alguns encontros que são unicos. Singelos.
Num momento completamente perdida no tempo, dia em que cheguei em Tiruvannamalai, depois de um almoço delicioso (comi um thali como há tempos não comia, de lamber os dedos literalmente), caminhava no estilo zumbi, procurando um lugar para ficar 5 dias por aqui.
Já que meu amigo morou aqui a 1 ano e meio atrás, conhece algumas figuras que moram ou voltam sempre aqui. Um hungaro estava nos ajudando, ele já tinha visto dois lugares, mas por um tinhamos que esperar o dono trazer a chave. Foi quando encontramos uma senhora, que ele conhece, que nos ofereceu: "come, let`s go to our roof, stay at the shadow". Com o sol na cabeça completamente fora de serviço, fomos contentes para a sombra.
Foi lá que conhecemos o seu marido, que já esqueci o nome. Um figura de uns 60 anos que sempre volta a Tiru, e fala daqui com um sorriso enorme, nos perguntando, como chegamos aqui pela primeira vez.
A maioria respondeu...destiny, of course. E essa foi sua resposta. Destino. Mas, por que volta sempre?
Para subir inumeras vezes a montanha Arunachala. Montanha sagrada, um mito para todos que vivem ou vêm aqui consagrar. Onde milhares de peregrinos sobem, em nome de Shiva. Onde Ramana Maharishi, um sabio ser iluminado, viveu por anos, em uma caverna.
Começou a falar da tão buscada FELICIDADE. Aquela que não tem explicação, e que ele vive, passo após passo que dá nessa subida, todas as vezes, ou seja, todos os dias que está aqui. Contou que sentiu essa felicidade sem motivo na primeira vez que caminhou pela montanha. E quando ele voltou pela segunda vez, "só" para subi-la, viveu 3 meses em Tiruvannamalai, e nesse período subiu Arunachala TODOS os dias. E sua esposa, com muita paciência e amor, assumindo que não está tão feliz assim em viver na India, o acompanha até hoje. Feliz.
Essa foi uma conversa de no máximo 20 min, num estado "nem aqui nem lá", com pessoas que desconheço, no meu primeiro dia na India (da quarta trip), sem pretensão alguma, senão compartilhar o estado supremo da felicidade em cumprir o seu próprio sadhana, a prática espiritual de cada um.

OM Namah Arunachala Shivaya

Abraço mais um ano





Mais um ano se passa.
Mais um ano vem.
Parte dos ciclos da vida.

Partindo do princípio que tudo na vida é abraçado pelos ciclos, concluo aqui nas minhas reflexões que nunca devemos recusar um abraço.
Um abraço, sendo feliz ou triste, é sempre um laço.
Peito com peito.
Coração com coração.
Braços entrelaçados.
Talvez não haja nada mais simples no mundo do que receber e retribuir um abraço.
A vida seria tão mais simples assim, se todos pensassem e agissem desta forma.
Abraçando o que vier, quem vier.
Abraçando a vida e as pessoas.
Abraçando os fatos, bons ou ruins.
Abraçando a si próprio.
Abraçando a Existência.
Que assim seja daqui pra frente.
Em 2011 e para sempre.
Que muitos abraços sinceros sejam compartilhados.
Que todos os seres vivam a vida de Verdade.
Que muitos dedos sejam entrelaçados.
Que todos os serem, em todos os lugares, encontrem a Felicidade.
Dentro de Si.

Feliz vida!!!

Partir

fev/2010 na Thailandia
Estou indo.
De novo.
Mais uma vez essa sensação, de deixar algo, para abraçar outro algo.
Novo.
Deixo aqui um pedaço de mim.
Sinto um vazio. Apertado.
Mas sei que é só sensação física.
A partir do instante que essa ligação é eterna, o tempo-espaço não a desfaz.
É a sensação da matéria.
Da falta e da saudade que está por vir.
Sinto tudo isso e vem lágrimas.
De felicidade.
De liberdade.
Ah, a saudade...
Com a consciência de que sou eterna,
Sigo em frente com meus objetivos.
Se serão cumpridos, depende de mim.
Ou não.
Mas isso não me importa agora.
Dou mais um passo, em direção ao vento.
Me jogo aos ares, em direção às estrelas.
Sinto um novo ar em minha face, em direção ao caminho.
Mergulho na existência, em direção a mim.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A vida na sequência da vida

A vida é uma concatenação de fatos vividos.
Vendo a vida numa sequência lógica, em fatos históricos, datados e passados, todo o presente faz sentido.
Ver tudo o que passou. Lembrar dos detalhes. Reviver dentro de si o não compreendido. E hoje ter o insight de que tudo estava realmente certo, no devido lugar.
Não podia ter sido diferente.
Nada aconteceu tarde demais. Ou antecipadamente.
Na hora certa é o momento correto.
Difícil compreender o sentido de tudo quando acontece, talvez seja porque o fim ainda não chegou, o objetivo não foi alcançado, o aprendizado não foi fixado.
Tantas lágrimas devem ser derramadas.
Tantos sorrisos devem ser mostrados.
Tantas gargalhadas devem ser ecoadas.
Tantas brigas devem ser batalhadas.
Tantos gritos devem ser vomitados.
Encontrar o seu lugar no mundo realmente não é fácil! Tem que ter muita paciência. Persistência. Força.
Experiência pós experiência.
Ato pós ato.
Meditação pós meditação.
Prática pós prática.
Tudo é uma sequência de fatos vividos.
Tudo que é vivido por cada ser faz sentido.
Depois do desespero, da angústia, do medo, da aflição, da sombra, vem um momento, um instante de calma, em que a paz volta e "há uma luz no fim do túnel".
Demorei para compreender o significado da representação da LUZ. Mas ela é o unico meio que temos para sair da escuridão, que limita os nossos sentidos e restringe as nossas ações.
Cada um tem que acreditar no seu potencial, crer de verdade que possui uma força interna que é maior que todas as limitações criadas por si, e olhar para cada fato da vida como um fato, que precede outro fato já vivido e é sucedido por outro fato que está por vir...e assim segue a vida.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Senhor dos Anéis

Acabei de assistir Senhor dos Anéis - a Sociedade do Anel. 
Vocês já devem ter visto, mas sempre tem a hora certa para ver algo, para abrir uma porta, para encarar o medo, para ir em frente...  

Ouçam o coração. 
Uma coisa é certa, cada um sabe o seu caminho, e ele só depende de você.

Frodo e Sam
amizade, fidelidade, entrega

Repetições

Ontem chegaram para mim sete pessoas que conversei sobre o mesmo tema, de diferentes maneiras:
CAUSA --> CONSEQUÊNCIA
Geralmente as pessoas olham para aquilo que ficou escancarado:
Tenho uma dor no corpo
Tenho alergia
Dor de cabeça
Nervosismo
Quase morri ...
E o que fica mais profundo, escondido, ninguém quer olhar.
Por que isso acontece sempre comigo?
Por que tem se repetido?
Por que fui tomado de surpresa?
Por que sofro tanto?
Sim, olhar dá trabalho, requer paciência, compaixão, força, traz mudanças.
Mas em algum momento a pessoa tem que sair do que está estático, senão vai ficar estagnada para sempre no mesmo sofrimento, deixando o circulo do samsara se repetir, e continuar reclamando, que "Deus é injusto", "não tenho sorte"...
Cada um é dono de seus próprios problemas e benefícios, e é o unico responsável por eles.
Cada um só entra no processo se quiser.

Agora, porque tive que repassar esse conhecimento a várias pessoas no mesmo dia?
Repetindo que se aprende. Aproveito também para me observar. E falo ao outro o que também cabe a mim.
O conhecimento deve ser sempre relembrado, para nunca ser esquecido.

Bolsa

AS: Por que mulheres carregam bolsa e homem não?
RC: Porque mulheres acham que precisam de coisas que homens acham que não precisam.


Quantas coisas sem necessidade você carrega em sua vida por achar que necessita delas?

domingo, 5 de dezembro de 2010

Não sou comum, nem impaciente

"Considero a vida uma estalagem onde tenho que me demorar até que chegue a diligência do abismo. Não sei onde me levará, porque não sei nada. Poderia considerar esta estalagem uma prisão, porque estou compelido a aguardar nela; poderia considerá-la um lugar de sociáveis, porque aqui me encontro com outros. Não sou, porém, nem impaciente nem comum. Deixo ao que são os que se fecham no quarto, deitados moles na cama onde esperam sem sono; deixo ao que fazem os que conversam nas salas, de onde as músicas e as vozes chegam cómodas até mim. Sento-me à porta e embebo meus olhos e ouvidos nas cores e nos sons da paisagem, e canto lento, para mim só, vagos cantos que componho enquanto espero.

Para todos nós descerá a noite e chegará a diligência. Gozo a brisa que me dão e a alma que me deram para gozá-la, e não interrogo mais nem procuro. Se o que deixar escrito no livro dos viajantes puder, relido um dia por outros, entretê-los também na passagem, será bem. Se não o lerem, nem se entretiverem, será bem também."

Fernando Pessoa

Despadronizar

Ir para a India é sair de todos os padrões.
Resumindo, é isso.
Pensando nos papéis que assumo na minha vida, quando estou em terras indianas esses papéis se tornam um só. Sou só eu. Entrar em contato com o self.
Mesmo tendo que me adaptar a milhares de mudanças devido a cultura, eu consigo ser eu. Não que aqui em casa eu não seja, mas o foco lá é outro.
Somos seres tão adaptáveis, que mesmo nas mais difíceis condições conseguimos sobreviver.
Diga tchau a qualquer padrão de limpeza. Coma com a mão (direita). Encare muita pimenta. Tire os sapatos. Ouça buzinas o tempo todo. Não espere educação no trânsito. Respire MUITA poluição e ar seco. Esteja pronto para, ao menos, um piriri. Ande vestida da cabeça aos pés. Não mostre ombros, peito, joelhos. Use panos enrolados no pescoço num calor de 40ºC. Escute "Hello Madam" todo tempo, e sorria. Ou "Do you have country coin?" umas 10 vezes no dia. Ache normal andar entre vacas, macacos e bodes na rua. E tenha muita paciência, afinal India é India.
Se eu quisesse conforto, com certeza iria para outro lugar.
Tal como já falei, que tenho que descondicionar para recondicionar, talvez eu tenha que desconfortar para me reconfortar.




sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

1/2 full, 1/2 empty


Várias vezes me vejo querendo compensar um tempo lá na frente, que ainda não veio. Pior que querer compensar um tempo perdido, que já foi, é fazer isso antes.
Ansiedade? Sede de viver? Projeção? Ilusão?
Me vejo indo viajar de novo a India, daqui 25 dias, e quero fazer tudo agora. Já que  não estarei aqui por mais de dois meses.
Já vem saudade, falta, um monte de pensamentos loucos que antecipam uma trip que já conheço bem, mas sei que será completamente diferente das outras.
Sempre é muito bom, intenso pra caramba, acontece tanta coisa por dentro e por fora que 2 meses parecem ser eternos. Ainda mais que, quando volto, preciso de mais um tempão para processar tudo...e ai então, quando dá saudade, embarco de novo. E assim está sendo por 4 anos. Minha casa aqui, volto pra casa lá.
Vejo que o unico sentimento que não muda é essa ansiedade que antecede a ida, que loucura... Talvez seja a ânsia de querer retornar a casinha, voltar para dentro, entrar fundo na prática, enxergar com mais clareza quem eu sou, como estou e o que quero me tornar, além das mudanças que estão por vir.
Eu gosto dessa sensação. Me traz uma adrenalina a busca da descoberta. Viajar por horas..... Atravessar continentes. Ficar perdida no tempo. Viver do outro lado do mundo. Falar outras línguas. Aceitar uma cultura completamente distinta dessa aqui.
Descondicionar o condicionado.
E depois, voltar para a "minha realidade", feliz, renovada, transformada, e tentar manter o que faz sentido para o meu eu.
Enquanto isso, estou aqui. Trabalhando muito para focar no presente, sem sofrimento.





quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Resistência

Tem dias que é tão difícil firmar no tapetinho...
Gostaria de todo dia estende-lo sem reclamar.
Sempre pratico com amor.
E coragem.
Mas...
Praticar dói.
Às vezes dói muito.

O corpo nos recorda de coisas que a mente já se esqueceu.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Homenagem aos noivos Sarah e Alê

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

                           Luís de Camões

Longe, junto

Quando estou longe de ti
Sinto um buraco aqui

Parece que falta algo em mim

Que não está ai
Nem ali

Só é preenchido assim

E ao mesmo tempo está aqui
E também ai

Sentimento sem fim

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O verdadeiro valor

O sofrimento que ainda não veio pode ser EVITADO
Yoga Sutra, II, 16


É, não tem jeito, esse caminho não é fácil. Do bonitinho ao feinho...todo mundo sofre! Nessa hora não há distinção, não tem como escapar.
Tenho me visto num processo em que estou num ponto diferente da maioria que já passei...
Não estou entrando em sofrimento por causa da matéria, por causa de grana. Não vejo sentido nisso. Só que ao mesmo tempo que me liberta, me incomoda. 
Como não estou me envolvendo nessa história? Me pergunto.
Não sou nenhuma renunciante. Vivo no tal do capitalismo, que não deveria existir, mas existe.
As pessoas brigam por dinheiro. Trabalham por dinheiro.
Eu não. Esse não é meu maior objetivo.
Sei que necessito dele, mas ele não tem uma grande importância. Está no devido lugar.
Meus valores têm mais valor.
Só que me peguei num ponto que isso me incomodou, senti uma angústia. Como viver assim nessa sociedade?
Se estou aqui, nesse mundo, nessa época, é porque meu trabalho é aqui, agora.
Ainda não sei como lidar com isso tudo.
Tem processo que é assim mesmo. Dá vontade de chorar, sair gritando, falando para o mundo mil verdades... e dá vontade de se retirar, isolar, aquietar, meditar...
Tudo tem seu tempo. Já me dispus a isso e não tem como voltar atrás, nem avançar ou correr.
Tá tudo certo...
Confio. Acredito. Tenho fé.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Banho de lua

Sob um banho de lua, numa noite de esplendor
Sinto a força da magia, da magia do amor
É tão bom sonhar contigo, oh ! Luar tão cândido



Sob uma lua cheia incrível...
Assuntos do infinito.
Encontro uma luz sem tamanho.
Que não é ofuscada pelas nuvens.
De onde vejo, crio formas.
Lembro de uma existência sem fim.
Poderia sair voando.
Mas fui com as histórias.
Coisas que talvez existam de verdade.
Situações que criamos ou lembramos.
Questionamentos profundos.
Sorrisos verdadeiros.
Barulho do mar que me guia na viagem.
Vento da maresia que me leva longe.
E quando volto, vem comigo resoluções.
Compreensão de que o infinito é mais belo.
Certeza que faço parte dele.
E que juntos nós somos muito poderosos.
Ah....como é bom estar presente.
E receber de presente, a lua.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Lembrando por que parei


Durante a vida passamos por inúmeras fases, fazemos várias coisas, vários testes, até encontrarmos o que realmente gostamos.
Eu já fiz tantos cursos, aulas, treinos, esporte...e hoje não passo nem perto de tudo aquilo que experimentei.
Natação. Vôlei. Ginástica. Corrida. Musculação. Capoeira. Violão. Tecido. Surf...
Mas andava me perguntando por que parei de surfar, se eu sempre gostei. Adoro praia, a conexão com a natureza é perfeita, cada fim de tarde incrível que peguei no mar... 
Medo não foi. Preguiça às vezes dava, afinal cansa remar. Mas preguiça não dura tanto tempo...
Já que não fazia sentido ter encostado a prancha, resolvi voltar.
E lembrei porque parei....dor!
Meu ombro parece que está com pedacinhos fora do lugar, faz tanto barulho em EKAM - inspira eleva os braços - que ha 3 dias não pratico nem metade da 1ª série...a 2ª volto depois da lua cheia, talvez. E o pescoço travado, inflamado, cuidando para não virar um torcicolo.
Eu não tomo remédio mesmo, não adianta insistir, então tenho que esperar passar, as always.
Mas e agora? Vou abandonar a prancha de vez?
Ainda não sei, talvez eu tente uma nova modalidade, mais adequada para meninas de 30. Bodyboard :)
Por enquanto, continuo tranquila, na areia, tomando sol, lendo, assistindo o namorado surfar, tirando foto, me divertindo com as pessoas que passam... Ah, lembrei de uma cena de domingo: uma mulher, daquelas "naturais", em Cambury, passeando com seu cachorrinho, de coleira, na praia lotada. Não sei o que era pior, a sem-noção com o dog, ou o pessoal que estava atrás de mim, xingando a moça. Me divirto com as pessoas! E comigo também.


Tendências

Teve um dia que ela, após uma, das inúmeras brigas que eles já tiveram, resolveu falar. Vomitar.
Colocou à mostra todo aquele sentimento que carregava guardado.
Gritou. Chorou. Falou.
Sem medo de qualquer repressão.
Se colocou no mundo.
Ouviu sua própria voz.
O coração falou mais alto ainda. Estava no seu lugar.
Quis reivindicar um sentimento que parecia, a seu ver, obrigação: o AMOR.
Ela não achava que ele a amava, como deveria ser amada.
Ou ele nunca demonstrara esse amor da forma que ela queria.
Ou ela simplesmente queria atenção.
Sabia que havia um carinho fraterno, mas faltava algo.
Isso foi dito de uma forma dura. E também foi ouvido.
Muita mágoa que o ser humano carrega fica no inconsciente.
Quando é colocada para fora sai só pela boca, mas ainda continua sendo mágoa, se não é curada.
Daí vem os traumas e muitas das tendências que somos obrigados a limpar, depois de olhar, caso a gente queira curar.
Esse dia causou uma revolução. Nele, nela, na família, nos olhares, no amor reivindicado.
Ela percebeu, com o tempo, que o amor existia sim. E que essa palavra reduzia muito um sentimento que tem valor inestimável, incalculável e é incomparável.
Talvez, na época, ela também não mostrava o seu amor, pois não olhava para si.
E sabe que ainda hoje (e para sempre) está aprendendo a amar.
Já aquelas tendências que tem que ser trabalhadas, estão sendo encontradas, graças a deus.
Cada briga de relacionamento anterior, que ficou para trás, era uma oportunidade que não foi olhada no momento e passou.
Hoje ela vê tudo como um filme, ou um CD riscado, que sempre travava naquela parte e não ia para frente... Até o momento que ela resolveu comprar um CD novo, e se dispõe a ouvir o resto da música, sem parar no mesmo ponto. Porém, toda vez que ela escuta a música, lembra que o CD podia ter parado ali...
Quando essa lembrança vai sair da sua mente?
Quando ela limpar de verdade. Com coragem.

Querer atenção.
Querer ser amada.
Querer que o outro olhe para você.
Querer ser ouvida.
Ter medo de perder.
Querer que esse amor seja só seu.

Você sabe amar sem ser de forma egóica?
Sem esperar algo em troca?
Sem exigir?

"Vive o amor sublime no corpo mortal ou na alma eterna? Lá, no círculo terrestre, meu caro, o amor é uma espécie de ouro abafado nas pedras brutas. Tanto o misturam os homens com as necessidades, os desejos e os estados inferiores, que raramente se diferenciará a ganga do precioso metal." Nosso Lar
*ganga = substância impura que envolve um mineral.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Humildade


Andei ouvindo muito, aqui dentro, a palavra humildade. Ai estava me perguntando: o que significa essa palavra pra você? 
A unica resposta que apareceu foi: saber que ninguém é melhor do que ninguém é ser humilde. 
Parece fácil, mas quem é humilde DE VERDADE?
Será que existe alguém que não esteja iluminado e seja realmente humilde?
Não sei, antes eu achava que eu era, até eu olhar bem lá no fundo…
Agora resolvi fazer algo que adoro, pesquisar no google: humildade...

Origem: Wikipédia

Humildade vem do Latim humus que significa "filhos da terra". Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas. A Humildade é a virtude que dá o sentimento exato da nossa modestia, cordialidade, respeito, simplicidade, honestidade e passividade. A humildade dos que vivem na pobreza, pode ser vista, pelos ricos, como uma fraqueza ou maneira de promover reverência e submissão das classes populares.
Diz-se que a humildade é uma virtude de quem é humilde, quem se vangloria mostra simplesmente que humildade lhe falta. É nessa posição que talvez se situe a humilde confissão de Albert Einstein quando reconhece que “por detrás da matéria há algo de inexplicável”.
Por humilde também se pode entender a personalidade que assume seus deveres, obrigações, erros e culpas sem resistência. Assim, se pode dizer que a pessoa ou indivíduo "assume humildemente".
 ---
Fonte: pensador.info

“Pensamos demasiadamente

Sentimos muito pouco

Necessitamos mais de humildade, 
que de máquinas.

Mais de bondade e ternura, 
que de inteligência.

Sem isso,

A vida se tornará violenta e 

Tudo se perderá.”
Charles Chaplin
 ---
"Se me dás dinheiro, não tomes a minha felicidade, e se me dás forças, não tires o meu raciocínio.
Se me dás êxito, não me tires a humildade; se me dás humildade, não tires a minha dignidade. 
Não me deixes embriagar com o êxito, quando o consigo, nem a desesperar, se fracasso.
Sobretudo, faz-me sempre recordar que o fracasso é a prova que antecede o êxito.
Ensina-me que a tolerância é o mais alto grau da força e que desejo de vingança é a primeira manifestação da debilidade." 
Gandhi
---
E encontrei um texto chamado: 
Humildade x Orgulho

“A pessoa humilde respeita aqueles que lhe são superiores e trata de aprender algo com todos. A orgulhosa resiste àqueles que lhe são superiores e trata de pôr-lhes defeitos.
O humilde sempre faz algo mais, além da sua obrigação. O orgulhoso não colabora, e sempre diz: "eu faço o meu trabalho".”

Entendo...

Tem coisas que, para eu compreender,
teria que emburrecer.
Mas, como sei que isso não vou fazer,
prefiro entender.

Papo de Viajante

Dei uma entrevista na rádio CBN, sobre a super experiência de morar no Chile.
Enjoy!

CBN - A rádio que toca notícia - Papo de Viajante

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Zumbido

Aquilo que parece perda
pode ser expansão.
Depende do grau
de percepção.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Tô só observando... (6)

"Ao mesmo tempo que tenho a preguiça 
como um obstáculo,
tenho a disciplina como meu mérito".

Disciplina e liberdade

Disciplina é o alicerce da liberdade.
Nenhum esforço é em vão.
Tudo que é feito através de muito suor tem uma recompensa.
Ser livre não é simplesmente nascer com asas.
Ser livre é não ter amarras.
Ser livre é conseguir se libertar de suas tendências.
Ser livre é reconhecer quem você é, e aceitar.
Já disciplina é persistência. Rigor. Método.
Diferente de rigidez. Cobrança.
A liberdade não é alcançada por um mero acaso.
Isso é vislumbre.
A liberdade é conquistada de acordo com o mérito de cada um.
A cada passo dado, no dia-a-dia, em direção a ela.
Parece simples, mas não é...
Só com muito esforço e determinação para seguir nesse caminho.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O que nos separou, nos juntou

Eu precisava sofrer...
Para descobrir a felicidade.
Eu precisava chorar...
Para hoje sorrir tranquila.
Eu precisei ir...
Para perceber que o melhor é estar.
Eu precisei fugir...
Para entender que tenho que encarar.
Eu precisava me contaminar...
Para desfrutar a pureza.
Eu precisava me isolar...
Para poder compartir.
Eu preciso sempre me olhar...
Para conseguir te ver.

A vida nos separou, não eu.
Ela nos deu uma oportunidade para a gente se amar de verdade.
Se assim não fosse,
Agora assim não seria.
Talvez eu não estivesse preparada para receber tanta carga de amor.
Sim, até para amar é preciso se preparar.
Amor puro só é retribuído com amor puro.

"A minha herança pra você
É o amor capaz de fazê-lo tranquilo
Pleno...reconhecendo o mundo
O que há em si...
E hoje nos lembramos
Sem nenhuma tristeza  dos foras que a vida nos deu
Ela com certeza estava juntando
Você e eu...
Achei você no meu jardim..."
Vanessa da Mata - "Minha herança, uma flor"

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Merecimento

Ah, sou feliz por ser feliz. Já tentei encontrar motivos. Já procurei entender o porquê da felicidade. 
Mas ela é tão simples, tão verdadeira, que eu a aceito assim, de coração e braços abertos.
Achava que tinha que ter um motivo concreto. Justificar o que sinto.
Pra que? Para quem?
Não importa a ninguém mais, só a mim.
As pessoas que vivem, convivem comigo devem sentir, e assim ficarem felizes também. Mas, senão, o que tenho a ver com isso? nada... Cada um com seus problemas, seus conflitos internos, seus questionamentos.
Também tenho os meus. Mas conflitos deixaram de se-los. Problemas mudaram de nome. Tudo é um fato do presente, que logo, quando o futuro vira presente, também muda de nome. 
Solução...Desafio...Mudança... 
Uma coisa pode se tornar várias coisas ou pode continuar sendo uma coisa só. Depende do ponto de vista. Depende da imaginação da mente. Do grau de loucura.
O que vejo é que a cada dia as pessoas se envolvem com o mínimo problema do seu universo particular, e a questão, que na maioria das vezes é minúscula, vira um dilema, uma novela, um peso sem fim. E aí acabam perdendo um tempão com futilidades, coisas sem pé nem cabeça, e vão levando a vida assim, "empurrando com a barriga", sem motivação, sem tesão em viver.
Enchem-se de riqueza futil por fora. Esvaziam-se da riqueza útil de dentro.
Mas, como não tenho nada a ver com o processo dos outros, não me importo. Só observo como muita gente perde muito tempo na vida.
Dizia que tinha tanta coisa boa na minha vida por sorte, até ouvir de uma das pessoas mais sábias que cruzei na minha vida (e que nunca mais sairá):

"Não é questão de sorte, é merecimento!"
Gratidão...

sábado, 30 de outubro de 2010

Lavando roupa suja

"Imagine que cada um de nós, renascendo do planeta, é portador de um fato sujo para lavar no tanque da vida humana. Essa roupa imunda é o corpo causal, tecido por nossas mãos nas experiências anteriores. 
Compartilhando, de novo, as bênçãos da oportunidade terrestre, esquecemos, porém, o objetivo essencial, e, em vez de nos purificarmos pelo esforço da lavagem, manchamo-nos ainda mais, contraindo novos laços e encarcerando-nos a nós mesmos em verdadeira escravidão. (...) 
O Umbral funciona, portanto, como região destinada a esgotamento de resíduos mentais; uma espécie de zona purgatorial, onde se queima a prestações o material deteriorado das ilusões que a criatura adquiriu por atacado, menosprezando o sublime ensejo de uma existência terrena".

Espírito André Luiz, no livro "Nosso Lar", de Chico Xavier

Sentir

Sinto
Algo aqui dentro está a mudar
Sinto
Não sei qual caminho tomar
Sinto
Um mistério de sensações
Sinto
Posso tomar diversas direções
Sinto
Estou num momento de transformar
Sinto
Posso tudo ao me observar
Sinto
Me envolvo em emoções
Sinto
Possuo o amor de grandes corações

Domingo no parque

Parque do Ibirapuera

"O mediador entre a cabeça e as mãos deve ser o coração!"

Filme: Metrópolis, de Fritz Lang, 
exibido domingo, 24, com a Orquestra Sinfônica de São Paulo, 
na parte externa do Auditório do Ibirapuera.

Animal de poder

A simbologia animal está profundamente gravada no inconsciente coletivo da humanidade. Herdamos sentimentos e recordações inconscientes que condicionam nosso comportamento consciente.
Existem algumas maneiras de se descobrir o animal que está presente em nosso interior, seja através de ritual, concentração ou mesmo da intuição. Conhecido como Animal de Poder, Totem ou Animal Guardião, estão mais próximos da Fonte Divina. Quando tomamos a consciência de sua existência, fortificamos os poderes que estão escondidos em nosso interior, pois há um aumento de nossa resistência a doenças e de nossa auto-confiança. Cada animal traz uma essência espiritual e, através dela, cada um com seu próprio modo ou estilo de vida, com sua própria medicina, nos leva a crescer e transmite-nos a sua sabedoria.


Como serpentes, os cavalos também simbolizam alguns aspectos da energia psíquica. O cavalo possibilita ao homem entrar em contato com seu lado instintivo e ter maior domínio sobre ele.
Cavalo - Poder interior, fibra, resistência, fidelidade, liberdade, viagem, adverte de possíveis perigos, guiando na superação de obstáculos, acelera o crescimento pessoal. Liberdade de espírito, viagem xamânica, força, clarividência.



quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Definição de Saudade


DEFINIÇÃO DE SAUDADE
artigo do Dr. Rogério Brandão, Médico oncologista


Como médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional (...) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes. Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.

Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional... Comecei a freqüentar a enfermaria infantil e apaixonei-me pela oncopediatria. Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer. Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças. 

Até o dia em que um anjo passou por mim! Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de químicos e radioterapias. Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos; porém, isso é humano!

Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.

— Tio, — disse-me ela — às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores... Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Indaguei: 
— E o que morte representa para você, minha querida?
— Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é? (Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, com elas, eu procedia exatamente assim.)
— É isso mesmo.
— Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!

Fiquei "entupigaitado", não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou, a visão e a espiritualidade daquela criança.
— E minha mãe vai ficar com saudades — emendou ela.

Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei: 
— E o que saudade significa para você, minha querida?
— Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais direta e simples para a palavra saudade: é o amor que fica
Meu anjinho já se foi, há longos anos. Mas, deixou-me uma grande lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar meus valores. Quando a noite chega, se o céu está limpo e vejo uma estrela, chamo pelo "meu anjo", que brilha e resplandece no céu.
Imagino ser ela uma fulgurante estrela em sua nova e eterna casa. Obrigado anjinho, pela vida bonita que teve, pelas lições que me ensinaste, pela ajuda que me deste. Que bom que existe saudade! O amor que ficou é eterno.

ATITUDE É TUDO!!!
Seja mais humano e agradável com as pessoas. 
Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha.
- Viva com simplicidade.
- Ame generosamente.
- Cuide-se intensamente.
- Fale com gentileza.
- E, principalmente: Não se queixe da vida.

Liberdade para ser livre

Para quê buscar a liberdade 
se esta é uma condição 
que a unica coisa que nos limita é a mente?

Não há limites


A cada dia que passa...
Percebo que sou um ser com infinitas possibilidades.
Qual é o meu limite?
A perfeição é atingida no momento presente. No estar aqui.
Posso ir a qualquer lugar.
Posso estar em qualquer tempo.
Espaço e tempo não são reais.

"A vida toda eu tive essa necessidade de saber".
"Para voar tão rápido quanto o pensamento, a qualquer lugar que existe, que já existiu, ou existirá, tem de começar sabendo que já chegou."
Fernão Capelo Gaivota (filme)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Yoga method

Meus méritos não se dão pelo método.
Meus méritos vêm do meu esforço.
Vêm da minha dedicação.
Vêm da minha disciplina.
Vêm do meu amor pela prática.
O Yoga é um caminho da auto-realização.
Mas nada faz sozinho.
O método não se faz por si só.
O método é uma oportunidade.
Algo necessário para que o buscador vá em sua própria direção.

Abrindo caminhos

A cada medo que vai embora 
é mais um passo a caminho da liberdade.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A verdade verdadeira

Não existem várias verdades universais. A verdade é uma só!
As experiências que os seres humanos passam por aqui podem servir pra constatar isso.
A verdade é única.
As coisas que acabam mudando, se transformando em outra coisa, não é uma verdade.
É passagem. É um caminho.
Mesmo que o caminho seja muito bonito, cheio de flores, orientador, se não for verdadeiro, pode acabar.
O caminho da verdade é infinito.
É um caminho que, quando você encontra, dificilmente irá se perder.
Achar que você descobriu o caminho também é se perder. A verdade já existe, então ela não pode ser descoberta. Pode ser encontrada, ou re-encontrada.
Afinal, todos nós viemos dela.
Simplesmente esquecemos disso quando estamos aqui, nos perdendo.

Parabéns! 1 ano!


Quando veio o insight de criar um blog, pensei: Qual o objetivo?
Claro, é importante ter isso claro!
Compartilhar.
Tudo devido a uma situação específica, que se tornou a primeira postagem desse blog.
Compartilhar coisas que vem do coração.
No caso, não tinha sido o meu, mas o tocou.
Agora, nesta data querida, após reler todos os textos que coloquei aqui, percebi que o objetivo está sendo seguido, mas ele se expandiu a um lado "um pouco" mais profundo.
O meu próprio autoconhecimento dessa pessoa aqui (com redundância pra enfatizar...).
Tenho colocado aqui coisas que nem sei nomear de onde vêm. O que sei é que faz parte de uma história que é só minha, mesmo sendo parecido com outros processos, de outras pessoas, o processo aqui é só meu.
Às vezes me sinto como minha própria psicóloga.
Releio alguma postagem e pergunto: quem escreveu isso??
Mas aí lembro exatamente o que estava vivendo e mais uma vez agradeço. Passou...
Sendo esse meu instrumento, desejo a ele vida longa, cheia de descobertas, aventuras, viagens, crescimento, emoções, amadurecimento, amor e ... liberdade!

Aqui vai uma citação de um livro indispensável a qualquer mulher: Mulheres que Correm com os Lobos, de Clarissa Pinkola Estés.

"É importante ter um repositório para tudo o que sentimos e ouvimos da natureza selvagem. Para algumas mulheres é o seu diário, onde elas deixam registrada cada pena que passa voando (...) É, os repositórios são a solução para o problema de toda perda de energia, isso e mais alguma coisa".

Mapa astral do blog,
com mesmo ascendente (gêmeos) e lua (sagitário) que eu :)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Tô só observando... (5)

"Por que a prática de Ashtanga nunca é a mesma? 
Todas podiam ser igual a hoje. 
Ou melhor".

Responsabilidade

E eu achando que minha vida estava calma, tranquila, sem agitos, num marasmo.... Tava até criando novos projetos, o lado artístico que às vezes dorme querendo acordar, mas nada novo fluiu (ainda) além das idéias, que nunca são poucas.
Foi então que me vi sendo iniciada em Reiki.
Pois é, as coisas boas também aparecem assim na vida, sem programação, nem expectativa. Veio a informação: Ro, vai ter curso de Reiki. Onde? Aqui, na sua sala! Que legal, quando? Na próxima 5ªf. Ok, põe meu nome ai, vou fazer!
Mas...o que é Reiki mesmo?? Ah, o que importa...vou fazer.
Começou quinta passada, 14, e na hora já senti uma conexão com a professora, Valquíria, que hoje já é minha mestra, e com essa história de Reiki. Como disse o namorado: "Que dizer que você tá aprendendo uma coisa que você já sabe, né Ro!". Pois é, às vezes acabo criticando essa mania de por nome nas coisas, mas acho que eu precisava colocar nome nisso que já sabia. Talvez para crer mesmo...
As informações não foram muitas. Quer dizer, não precisei anotar nada. Mas...trabalho com chakras todos os dias com a prática de ashtanga. Então as rodas invisíveis já estão sendo preparadas a tempos.
Sensibilidade. Isso tenho de sobra. Fé no processo, também. Fé na cura através da energia. Comprovação quântica (adoro essa palavra) de que TUDO é energia. A mesma energia. Tem a mesma origem. 
E o melhor de tudo: ser um CANAL.
Simplesmente incrível. Pra variar...intenso! Mas me sinto leve, pronta, feliz, disposta, cheia de energia vital.

Tenho consciência que eu sou responsável pelos meus atos. 
Pelos meus pensamentos. 
Pela minha energia.
Nós somos o que somos. 
Não adianta querer mudar a própria essência.

CHO KU REI! CHO KU REI! CHO KU REI!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Andar com fé eu vou

E num momento da vida o Universo te põe na parede e pergunta:
Você tem mesmo fé?
Qual o tamanho da sua fé?

O que você responde?
De onde vem essa fé?

Na fé não há dúvida. Não há "será"...
A fé vai além da crença.
A fé sustenta qualquer perrengue.
A fé vem da alma.
A fé vem de dentro da nossa essência.

O divino está aqui. Presente. E deve ser lembrado sempre.
O divino vive no e além do corpo.

Tô só observando... (4)


"Quem disse que é mais devoto 
aquele que vai ao templo, à igreja, ao ritual?"

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Desapego

O desapego com relação a um sentimento 
é muito mais profundo 
do que o desapego com relação a algum 
bem material.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Saudação aos mestres

GURU DHYÄNAM

gururbrahmä gururvishnuh gururdevo maheshvarah 
gurussäkshät parambrahma tasmai srigurave namah

O mestre é Brahmä, é Vishnu, é o Senhor Shiva. O mestre é o absoluto Brahman que é experienciado por cada um. Saudações ao reverenciado mestre.


fonte: Centro de Estudos de Vedanta e Sânscrito – www.vidyamandir.org.br

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Amar o amor


"Amo como ama o amor. 
Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. 
Que queres que te diga, além de que te amo, 
se o que quero dizer-te é que te amo?"

Fernando Pessoa

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

All you need is love



"There's nothing you can know that isn't known
Nothing you can see that isn't shown
Nowhere you can be that isn't where you're meant to be
It's easy

All you need is love
All you need is love
All you need is love, love
Love is all you need"

Viva Chile! Viva la vida!

Vivemos sempre em processos de mudanças e transformações no mundo, e a maioria deles acontece de forma dura, com sofrimento, dores e comoção. E é assim porque, se fosse o contrário, ninguém daria tanta atenção.
O que aconteceu hoje, o resgate dos 33 mineiros que estavam presos há 70 dia numa mina no Atacama, teve repercussão mundial, comoveu a todos, sem fronteiras, sem qualquer barreira, intervenção de partidos políticos, nem interesses pessoais. A única coisa que importava ali era a coisa mais importante da vida...ela mesma, a VIDA!
Vivemos todos separados, em guerras internas e externas, competindo com os outros e com nós mesmos. Guerra essa que parece sem fim, porque, afinal, todos crescemos com um objetivo na vida: vencer. Mas...vencer o que mesmo? De quem? Eu não sei de onde começou essa idéia que "tenho que ser o melhor", "tenho que ser o primeiro". Nunca me encaixei nisso, nunca compreendi. Deve ser por isso que não curtia esportes em grupo, competições... Teve uma época que eu até curtia futebol, até perceber que quem não torce pro meu time tem que ser meu inimigo. Larguei, prefiro a paz.
Num momento como esse resgate, prevaleceu a COMPAIXÃO, o amor ao próximo, a força de viver, autocontrole, determinação...viva a vida!

Chile na cabeça, amor no coração e Atacama na mirada

Quantas pessoas tem que sofrer para o mundo acordar?
Quantas guerras tem que haver para as pessoas entenderem que o caminho da paz é a melhor escolha?
Quanto dinheiro os envolvidos na política tem que ganhar (ou perder) para compreenderem que a pobreza está na história de ganância e apego que eles mesmos transmitem às pessoas?
Quanto tempo ainda as pessoas vão permanecer sofrendo, na ignorância, buscando coisas que são impermanentes?
Quando os seres humanos vão compreender que a felicidade já existe dentro de cada um?
E que o AMOR a si e ao próximo é a coisa mais importante da vida...

OM shanti shanti shantih OM
OM paz paz paz OM

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Eu te admiro

"O amor só é possível quando você atribui um valor mais alto à pessoa do que a você, quando você vê nela ou nele uma personalidade que, pelo menos em algum sentido, é superior à sua."

Theodor Reik

O que você vai ser quando crescer?


Quando criança, sonhava com uma vida.
Podia viver em um sonho.
Tinha amigos imaginários.
Ou imaginava te-los.
Brincava o dia todo de boneca.
E também acreditava ser uma.
Jogava jogos comigo mesma.
E muitas vezes não saía vencedora.
Não tinha preocupação em concluir nada.
O importante era estar ali.
Tudo podia ficar para o dia seguinte.
Mas podia ser esquecido por uma novidade.
Criava línguas, histórias, lugares.
Que talvez já tenha vivido algum dia.
Me perguntavam o que eu ia ser quando crescer.
E eu não me importava em ser gente grande.
Continuava sonhando o que, ou quem, eu podia ser.
Nos próximos segundos.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

O que faz sentido...

Não faz sentido eu continuar errando da mesma forma que já errei.
Não faz sentido eu continuar buscando uma coisa que já encontrei.
O que faz sentido é eu viver da forma que sempre sonhei.
O que faz sentido é eu amar, como nunca amei.

Tô só observando... (3)

"Amor pode ser medido,
comparado,
virar uma fórmula?"

Tô só observando... (2)

"Quem disse que seu tempo é mais valioso 
que o meu?"

Tô só observando... (1)

"Quem disse que seu processo é mais evoluído 
que o dos outros?"



Começo aqui uma série de observações... É bom esclarecer que esse "eu" oculto antes do "tô", não sou eu aqui, pois essas observações podem servir para qualquer um que ler isto, inclusive eu.

A verdadeira família

Quem são nossos pais, irmãos, companheiros, amigos nessa vida?
Quem são os verdadeiros familiares?
Quem está ensinando/aprendendo para/com quem?
Qual o motivo dessas pessoas terem entrado no nosso caminho?
Qual meu grau de envolvimento com essas pessoas?

Cada Ser tem a sua responsabilidade nessa vida.
Cada pessoa que aparece é uma benção em sua evolução espiritual. Principalmente se aparecer como um desafio.
Lembre-se sempre que o mais importante, o que dá sentido a vida, é ter Deus no coração. Sua família é essa.
E que cada desafio que aparece é uma grande OPORTUNIDADE para o crescimento individual.

Você é responsável por você

Se quando você está ajudando o outro, o ouvindo, dando conselhos, você acha que está ajudando SOMENTE o outro, que assim o assunto vai se resolver, você ainda não entendeu nada, ou entendeu tudo errado...
Aquilo que veio até você serve para você se observar, se ajudar, porque a unica pessoa que pode te ajudar a mudar é você mesmo. Mais ninguém.
Os outros são só instrumentos.
Então, não espere nada de ninguém. Não dependa do outro esperando uma mudança.
O unico responsável por você, é você mesmo.
Ninguém mais...